Machado maquiavélico

Alex Lara Martins

Resumo


Maquiavel é uma das principais fontes filosóficas da ficção de Machado de Assis. Pretendo identificar as diversas maneiras pelas quais essa fonte atravessa a ficção machadiana e propor um modo de leitura, de maneira a associar, por um lado, seu conhecimento filosófico a uma perspectiva cética e moralista e, de outro lado, o seu plano de carreira literária às modificações formais de sua ficção.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, Sandra. Machado de Assis e seus inspiradores italianos. In: MONTEIRO, Rodrigo Bentes; BAGNO, Sandra (Orgs.). Maquiavel no Brasil: dos descobrimentos ao século XXI. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015, p. 225-252.

BOSI, Alfredo. Machado de Assis: O Enigma do Olhar. São Paulo: Ática, 2000.

FAORO, Raymundo. Machado de Assis: a pirâmide e o trapézio. 3. ed. Rio de Janeiro: Globo, 1988.

LA ROCHEFOUCAULD, François de. Reflexões ou sentenças e máximas morais. Trad. Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Penguin Classics; Companhia das Letras, 2014.

MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Obra completa em quatro volumes. 4 vols. Organização editorial Aluizio Leite, Ana Lima Cecílio, Heloisa Hahn. São Paulo: Nova Aguilar, 2015.

MAGALHÃES JUNIOR, Raimundo. Machado de Assis: vida e obra. Vol. II. 2a ed. Rio de Janeiro: Record, 2008.

MAIA NETO, José Raimundo. O ceticismo na obra de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Annablume, 2007.

MAIA NETO, José Raimundo. O Delito Capitolino. Aletria, n. 1, vol. 23, jan.-abr. 2013.

MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. São Paulo: Nova Cultural, 2004.

MAQUIAVEL, Nicolau. Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MARTINS, Alex Lara. Machado de Assis: o filósofo brasileiro. Porto Alegre: Editora Fi, 2017.

PASCAL, Blaise. Pensamentos. Tradução de M. Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PLATÃO. Obras Completas. 2 ed. Madrid: Aguilar, 1972.

PUTNAM, Hilary. Reason, Truth, and history. Cambridge: Cambridge University Press, 1981.

REALE, Miguel. A filosofia na obra de Machado de Assis. Revista Brasileira. Jul-Set., n. 44, 2005.

RISSATO, Felipe. Machado de Assis no jornal Cosmopolita. Machado de Assis em Linha, vol.9 n. 18 Rio de Janeiro May/Aug. 2016.

SÁ REGO, Enylton de. O calandu e a panacéia: Machado de Assis, a sátira menipéia e a tradição luciânica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

SCHWARZ, Roberto. Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. 2 ed. São Paulo: Duas Cidades, 1991.

SILVA, Antônio de Moraes; BLUTEAU, Rafael. Diccionario da lingua portuguesa, 2 vol. Lisboa: Officina de Simão Thaddeo Ferreira, 1789. Consulta disponível em: http://www.brasiliana.usp.br/handle/1918/00299210. Acesso: 18/04/2016.

VIANNA, Glória. Revendo a biblioteca de Machado de Assis. In: JOBIM, José Luís (Org.). A biblioteca de Machado de Assis. 2a ed. Rio de Janeiro: ABL/Topbooks, 2008, p. 99-274.

WAIZBORT, Leopoldo. A passagem do três ao um: crítica literária, sociologia, filologia. São Paulo: Cosac Naify, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.