Das Proposições Práticas da Crítica da Razão Prática Pura: Uma Análise dos Conceitos Norteadores da Ética Kantiana

Filicio Mulinari

Resumo


Muitos filósofos fizeram referência à teoria ética proposta por Immanuel Kant (1724-1804) em sua obra Crítica da Razão Pura (1788), ora tomando-a como fundamento para desenvolvimento de teorias éticas contemporâneas, ora tomando-a como alvo de crítica pós-moderna. Contudo, apesar da grande repercussão da obra kantiana, deve-se salientar não é incomum encontrar leituras errôneas e comentários equivocados sobre as teses de Kant. Nesse sentido, o presente artigo almeja apresentar e esclarecer os principais conceitos da primeira parte da Analítica da Razão Prática Pura da Crítica da Razão Prática, intitulada Das Proposições Fundamentais da Razão Prática Pura, a fim de evitar leituras equivocadas e proporcionar um caminho introdutório para a leitura e entendimento da Ética de Immanuel Kant. 


Palavras-chave


Ética; Kant; Imperativo Categórico

Texto completo:

PDF

Referências


ALTMANN, Matthew C. Kant and Aplied Ethics. The uses and the limits of Kant’s practical philosophy. UK: Wiley-Blackwell Press, 2011.

HÖFFE, Otfried. Immanuel Kant. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

IRWIN, Terence. The development of ethics. A historical and critical study. Volume III: from Kant to Rawls. Oxford: Oxford University Press, 2009.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão Prática. Trad. Antonio Carlos Braga. São Paulo : Editora Escala, 2006. (Coleção Grandes Obras do Pensamento Universal)

VOELLER, Carol. The metaphysics of the moral law. Kant’s deduction of freedom. New York & London: Garland Publishing Inc., 2001

WOOD, Allen. Kant’s Ethical Thought. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.