da Cunha

Sobre o Hílemorfismo: corpo e alma como condição de possibilidade do viver

Suelen Pereira da Cunha

 

Resumo

O presente trabalho visa demonstrar como a relação entre corpo e alma são indispensáveis para o viver. Para tanto, considera a tese de que o ser animado é uma substância composta de matéria e forma, que também pode ser analisada sob a perspectiva de potência e ato. Neste sentido, o trabalho inicia com a compreensão sobre o que é uma substância, qual tipo de substância é o ser vivo para, em seguida, mediante as definições de alma presentes no livro Β do De Anima, perceber como se dá a relação entre corpo e alma e porque tal relação é necessária ao viver. Este trabalho é resultado de uma pesquisa bibliográfica que tem como principais aparatos teóricos as obras aristotélicas: De Anima, Metafísica, Física e Categorias.

Palavras-chave: Aristóteles. Ser vivo. Alma. Corpo.

Palavras-chave

Aristóteles. Hilemorfismo. Ser Vivo. De Anima

Referências

ARAÚJO, Hugo Filgueiras de. Relação corpo e alma, no De Anima de Aristóteles. In: Revista [email protected]: Revista da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras. Vol.1, N.1, 1° Ed, Ano: 2010. Disponível em: Acessado em: 15 de junho de 2016.

ARISTÓTELES. Das Categorias. Introdução, tradução e notas de Maria José Figueiredo. Lisboa: Instiuto Piaget, 2000.

_____________. De Anima. Apresentação, tradução e notas de Cecília Gomes dos Reis. 2° ed. – São Paulo: Editora 34, 2012.

____________. Física. Prefácio, introdução e comentários: Lucas Angioni. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2009.

____________. Física. Traducción y notas: Guillermo R. De Echandía. Editorial Gredos, 1995.

_____________. Metafísica: Volume II; ensaio introdutório, texto grego com tradução e comentário de Giovanni Reale; tradução Marcelo Perine. 3 ed. – São Paulo: Loyola, 2013.

_____________. Sobre a Alma. Tradução de Ana Maria Lóio; revisão científica de Tomás Calvo Martínez; Adaptado para o português do Brasil Luzia Aparecida dos santos. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

_____________. Tópicos. Seleção de textos de José Américo Motta Pessanha; tradução de Leonel Vallandro e Gerd Bonheim da versão inglesa de W. A. Pickard. 2 ed. – São Paulo, Abril Cultural, 1983.

GUERREIRO, Rafael Ramón. La recepcion árabe del De Anima de Aristóteles: Al-Kindi y Al-Farabi. Madrid: CSIC, 1992.

HOMERO. Íliada. Tradução e introdução Carlos Alberto Nunes. 25 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

PUENTE, Fernando Rey. Os sentidos do tempo em Aristóteles. SP: Loyola, 2001.